segunda-feira, 26 de maio de 2008

A aventura

Primeiro
julguei fossem
formigas: mas formigas
sabedoras do risco,
estranhamente íntimas.
Admirável expedição
de homens tontos
nas escarpas,
aranhas teimosas
à cata de algum
prazer incrustado
nas lacerações
fartas em desenhos,
símbolos do perigo
de viver. — Quantos
despencam a cada jornada.
Os que restam
mantêm-se em tamanha
consciência do seu risco
que só lhes resta tomar distância
do eco da morte despenhada.
E sobem.


Do livro O dia múltiplo, de Jorge Emil, Editora Bom Texto, 2000

Nenhum comentário: